Suplementação de N-acetilcisteína na endometriose. Como funciona?

Acredita-se que na endometriose as espécies reativas de oxigênio e os radicais livres favoreçam o crescimento e a adesão de células endometriais fora da cavidade peritoneal.

O estresse oxidativo está intimamente ligado à inflamação. O aumento da produção de interleucina (IL) -8 e fator de necrose tumoral (TNF) -α, atraem células inflamatórias e aumentam a produção de oxidantes por essas células.



A N-acetilcisteína (NAC) é a forma acetilada da cisteína (aminoácido) que os estudos sugerem reduzir o tamanho do endometrioma, substituindo o seu comportamento proliferativo e diminuindo a sua atividade inflamatória e invasiva.


A NAC exibe propriedades antioxidantes diretas e indiretas. Seu efeito direto é devido a um grupo tiol livre interagindo e eliminando ROS. Já o indireto está relacionado ao seu papel como precursor da glutationa (GSH), resultando em aumento da sua concentração intracelular.


Helbig, M., Vesper, A. S., Beyer, I., & Fehm, T. (2021). Does Nutrition Affect Endometriosis?. Geburtshilfe und Frauenheilkunde, 81(2), 191–199. https://doi.org/10.1055/a-1207-0557

Lu, H., Hu, H., Yang, Y., & Li, S. (2020). The inhibition of reactive oxygen species (ROS) by antioxidants inhibits the release of an autophagy marker in ectopic endometrial cells. Taiwanese journal of obstetrics & gynecology, 59(2), 256–261. https://doi.org/10.1016/j.tjog.2020.01.014


38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo