Quais os principais efeitos da obesidade no sistema imune

Definida como o excesso de adiposidade associada ao prolongado balanço energético positivo, a obesidade possui forte relação com comprometimentos imunológicos. Isso ocorre, pois o estado de inflamação crônica no tecido adiposo promove uma inflamação sistêmica, alterando a função de diversas células do sistema imune inato e adaptativo. Esse estado crônico ocorre pela infiltração de células inflamatórias e moléculas quimioatraentes decorrente da hipóxia dos adipócitos, apoptose e estresse celular.



Alterações no sistema imune em indivíduos obesos

Em indivíduos eutróficos, o sistema imunológico usa duas respostas para reagir a determinados distúrbios: a resposta imune inata (inicial e rápida) e a resposta imune adaptativa (tardia e altamente específica). A última resposta gera uma memória imunológica, entretanto, ambas requerem tipos de células especializadas. Durante a primeira resposta, basófilos, eosinófilos, mastocitos, neutrófilos, macrófagos e células natural killer são recrutadas, enquanto na segunda, diferentes tipos de linfócitos T e B constituem as células imunes adaptativas.


Contudo, alterações imunológicas locais e sistêmicas podem ser observadas em indivíduos obesos. Com relação às alterações locais no tecido adiposo, tem-se a substituição de células imunológicas com função anti-inflamatória, como macrófagos M2 e células T reguladoras, por células inmunes pró-inflamatórias, como macrófagos M1, aumentando assim a secreção de citocinas pró-inflamatórias. Já nas alterações sistêmicas, é possível observar o aumento de monócitos circulantes, neutrófilos e níveis elevados de citocinas pró-inflamatórias. Essas modificações geram, em conjunto, um estado inflamatório cronicamente elevado, estimulando vias regulatórias que podem limitar a resposta a um gatilho agudo, como infecções respiratórias, periodontais, pós-operatório e cirúrgico.

Alguns prejuízos a imunidade em indivíduos obesos são:

o Alteração na função de monócitos e linfócitos.

o Disfunção nas células natural killer.

o Alteração na produção de citocinas.

o Função reduzida de células dendríticas e macrófago.

o Diminuição da resposta frente à estimulação de antígeno.


Evidências das alterações na imunidade em indivíduos obesos.

Diversos estudos demonstraram alterações na função imune de humanos obesos, quando comparados com aqueles de peso saudável. Essas disfunções podem resultar em defesa prejudicada do hospedeiro, expondo o mesmo a diversas infecções bacterianas, fúngicas e virais. Na prática clínica, temos alguns exemplos como:

  • Discrepância entre o número de leucócitos e na atividade fagocitária de monócitos.

  • Influência da atividade das células imunes prejudicadas com o desenvolvimento de diabetes tipo II, complicação comum na obesidade.

  • Impacto da obesidade na vigilância imunológica ao reduzir a diversidade de células T.

Para um estudo mais aprofundado sobre o tema, segue algumas sugestões de leitura:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7711810/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5199693/

https://www.cambridge.org/core/journals/proceedings-of-the-nutrition-society/article/impact-of-obesity-on-the-immune-response-to-infection/0C67E950E13DF5083A669DD40DF07CFB

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo