Microbiota intestinal e endometriose – existe relação?

Os estudos indicam que a disbiose (alteração da composição e funcionalidade das populações microbianas) está intimamente correlacionada com doenças inflamatórias crônicas.


Acredita-se que a contaminação de bactérias da microbiota intestinal possa alterar a microbiota vaginal, que é basicamente constituída de Lactobacillus, que contribuem para a homeostase local.

Essa disbiose vaginal favorece a mudança de pH e, assim, a colonização por bactérias patogênicas. Por sua vez, tais bactérias geram respostas imunológicas e, em consequência a isso, uma resposta inflamatória que pode culminar no desenvolvimento da endometriose.


Ata, B., Yildiz, S., Turkgeldi, E., Brocal, V. P., Dinleyici, E. C., Moya, A., & Urman, B. (2019). The Endobiota Study: Comparison of Vaginal, Cervical and Gut Microbiota Between Women with Stage 3/4 Endometriosis and Healthy Controls. Scientific reports, 9(1), 2204. https://doi.org/10.1038/s41598-019-39700-6


Baker, J. M., Al-Nakkash, L., & Herbst-Kralovetz, M. M. (2017). Estrogen-gut microbiome axis: Physiological and clinical implications. Maturitas, 103, 45–53. https://doi.org/10.1016/j.maturitas.2017.06.025


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo