Como a reserva ovariana interfere na fertilidade

O termo reserva ovariana é utilizado para definir a quantidade de folículos, que armazenam os óvulos, presentes nos ovários. O número estimado no nascimento é de mais ou menos 300 mil, quantidade que diminui até a puberdade e, posteriormente, a cada ciclo menstrual. Todos os meses diversos folículos são recrutados, no entanto, geralmente apenas um se desenvolve e amadurece para posteriormente ovular. Os que não se desenvolverem serão naturalmente absorvidos pelo organismo


Naturalmente, como a cada menstruação os folículos recrutados que não se desenvolvem são eliminados, a reserva ovariana diminui e, na menopausa, a atividade dos ovários é interrompida.Esse declínio é influenciado por vários fatores diferentes, incluindo idade, genética e fatores ambientais. Ao contrário da geração de espermatozóides no homem, o pool folicular nas mulheres é unidirecional e a taxa de diminuição acelera à medida que a mulher envelhece. e com isso o risco de anormalidades genéticas aumentam nos óvulos. Por esses motivos, a reserva ovariana pode ser definida como um marcador de fertilidade da mulher.


Um dos fatores ambientais que podem causar o declínio da reserva ovariana é o estresse oxidativo, que ocorre com a geração de radicais livres ou espécies reativas de oxigênio (EROs). A geração de EROS, é um processo que ocorre naturalmente no organismo devido ao metabolismo celular. No entanto, o acúmulo desses componentes em condições onde os mecanismos antioxidantes de defesa estão deficientes, pode levar a diferentes tipos de injúrias celulares, incluindo a peroxidação lipídica, oxidação de aminoácidos e ácidos nucléicos e apoptose ou morte das células do ovário, ou seja a produção excessiva de radicais livres pode ajudar na diminuição da reserva ovariana, implicando na fertilidade.


Um dos motivos do estresse oxidativo excessivo é o estilo de vida, como sedentarismo, tabagismo, alcoolismo e hábitos alimentares ruins como uma dieta pobre em alimentos in natura e minimamente processados e rica em produtos ultraprocessados, que possuem baixa qualidade nutricional e alta densidade energética.


Assim como a má alimentação pode impactar o estresse oxidativo, a alimentação equilibrada consegue diminuir seus efeitos. Um exemplo são as vitaminas e minerais com ação antioxidantes, que são capazes de bloquear o início da peroxidação lipídica (o processo através do qual os radicais livres capturam elétrons dos lípidos das membranas celulares) ou inibir a sua propagação, além disso são anti apoptótico dos folículos pré ovulatórios e desempenham um importante papel tanto na síntese de colágeno quanto para a construção da membrana basal ao longo do crescimento folicular.


Alguns exemplos de alimentos antioxidantes e seus efeitos:


  • Alimentos que são fonte de vitamina C (ácido ascórbico) como caju, manga, acerola, limão , kiwi, couve flor e brócolis são importante antioxidantes hidrossolúveis que limita a difusão do estresse oxidativo na membrana celular e atua como protetor dos lipídios e das proteínas da membrana.

  • Alimentos ricos em vitamina E como as oleaginosas, ovo, abacate e o salmão, são excelentes antioxidantes lipossolúveis ,portanto, atua protegendo as membranas celulares (formadas por lipídios) da ação dos radicais livres.

  • Alimentos que possuem licopeno como : tomates, mamão, pitanga e goiaba possuem a capacidade seqüestrante dos radicais livres .Estudos mostram que o licopeno protege moléculas de lipídios, lipoproteínas de baixa densidade, proteínas e DNA contra o ataque dos radicais, tendo um papel essencial na proteção de doenças.

  • Alimentos ricos em flavonoides como uva, morango, maçã, romã, brócolis, espinafre, couve e cebola têm capacidade antioxidante pois são capazes de reagir com vários tipos de radicais livres (que aceleram o envelhecimento precoce), formando assim compostos estáveis e retardando o envelhecimento das células.

Além dos tratamentos tradicionais relacionados à baixa quantidade de folículos como tratamento de Fertilização in vitro e o congelamento de óvulos maduros é importante também adotar um estilo de vida saudável e com isso dieta equilibrada, o'que irá ajudar a manter a qualidade dos óvulos, por é isso é importante procurar um nutricionista para auxiliar nesse processo.


Referências:


Luan, Yi et al. “Os inibidores da apoptose protegem a reserva ovariana da ciclofosfamida.” The Journal of endocrinology vol. 240,2 (2019): 243-256. doi: 10.1530 / JOE-18-0370


Michio Kitajima , Khaleque Newaz Khan , Ayumi Harada , Ken Taniguchi , Tsuneo Inoue , Masanori Kaneuchi , Kiyonori Miura , Hideaki Masuzaki . Associação entre endometrioma ovariano e reserva ovariana. Frontiers in Bioscience-Elite. 2018. 10 (1); 92-102.

https://openrit.grupotiradentes.com/xmlui/handle/set/3901


Ulrich, Nicole D e Erica E Marsh. “Teste de reserva ovariana: uma revisão das opções, suas aplicações e suas limitações.” Obstetrícia clínica e ginecologia vol. 62,2 (2019): 228-237. doi: 10.1097 / GRF.0000000000000445


Xu, Yangying et al. “O pré-tratamento com coenzima Q10 melhora a resposta ovariana e a qualidade do embrião em mulheres jovens de baixo prognóstico com diminuição da reserva ovariana: um ensaio clínico randomizado”. Biologia reprodutiva e endocrinologia: RB&E vol. 16,1 29. 27 de março de 2018, doi: 10.1186 / s12958-018-0343-0

29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo